A HISTÓRIA DAS TOBACCO WIVES NO ROMANCE TO HAVE AND TO HOLD ([1900] 2016)

Beatrice Uber

Resumo


O romance To have and to hold ([1900] 2016), da estadunidense Mary Johnston, aborda a temática da vinda de jovens que deixaram a Inglaterra para casar com colonizadores em Jamestown, no atual estado da Virgínia, nos Estados Unidos da América. Essas moças, de acordo com a historiografia tradicional, ficaram conhecidas como tobacco wives e Jamestown brides. A narrativa é exposta por um narrador autodiegético, Ralph Percy, que representa um dos colonizadores ingleses no “Novo Mundo” e relata sua história ao se casar com Jocelyn Leigh, uma das jovens destinadas ao matrimônio. É por meio de sua perspectiva que temos conhecimento da sua necessidade de adquirir uma esposa, como ocorre seu casamento, o valor despendido para a efetivação da cerimônia, as desavenças que passam a ocorrer após a vida de casado e, principalmente, os ataques que a colônia em desenvolvimento – Jamestown – enfrenta para se sustentar no “Novo Mundo” e tornar-se um local próspero e desenvolvido governado pela Coroa Inglesa. Assim, por meio do romance histórico To have and to hold ([1900] 2016), uma obra que mescla história e ficção, o presente artigo faz uma breve apresentação das modalidades do gênero romance histórico, objetiva apresentar a história das tobacco wives perante a história oficial e no território fictício, bem como analisar se a diegese romanesca contesta a versão oficial difundida ou se corrobora os eventos do passado acerca da colonização norte-americana. Para embasamento teórico, autores como Mata Induráin (1995), Pesavento (1999), Zug (2016) e Fleck (2017) servem como substrato.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.